A Linx, que desenvolve tecnologias de gestão de varejo, acaba de iniciar seu IPO (oferta pública inicial de ações, da sigla em inglês) na Bovespa, em São Paulo, sob o nome LINX ON NM e código LINX3, com ações negociadas nos mercados à vista, fracionário e a termo. As ações estrearam às 9h50 com o preço inicial de R$ 27,00 e às 10h35 já tinham atingido preço de R$ 30,38.

Criada em 1985 e tendo como primeiro produto o sistema MicroMalhas, a empresa paulistana Linx S.A. incorporou dez empresas nos últimos 4 anos, ampliando seus segmentos de atuação: Quadrant, CSI, Inter Commerce, Formata, Dia System, CNP Engenharia de Sistemas, CustomBS, Spress, Microvix e Compacta Tecnologia. Atualmente, mais de R$ 5 bilhões em transações de cartão de crédito e débito trafegam por sua rede dedicada.

Com a abertura na bolsa, a empresa junta-se a Bematech, Positivo Informática, Ideiasnet e TOTVS como representantes do setor de Tecnologia de Informação no segmento de Novos Mercados da Bovespa.

Assista ao momento em que os executivos da Linx “tocam a campainha” que dá início às vendas das ações:

Alberto Menache, diretor presidente da Linx, falou sobre o processo de IPO:

Presente no mercado há quase 30 anos, a Linx é líder na América Latina em tecnologia de gestão empresarial para o Varejo, com mais de 10.500 clientes no Brasil, América Latina e Europa. Com foco exclusivo no varejo, atua nos segmentos de vestuário, calçados, supermercados, home centers, farmácias, óticas, eletroeletrônicos e eletrodomésticos, acessórios e joias, presentes, livrarias, perfumaria e cosméticos, food service, entretenimento, e-commerce, autopeças, revenda de pneus e concessionárias de automóveis, motos, máquinas agrícolas e tratores.

A empresa conta com mais de 1.500 colaboradores em sua matriz e filiais e dispõe de unidades de relacionamento e parceiros distribuídos pelo Brasil e exterior. Para atender de forma integral às necessidades atuais do mercado varejista, a companhia oferece soluções em Software, Conectividade e Serviços Complementares.

Fazem parte de seu portfólio de clientes empresas como Hering, Richards, Ellus, Puma, Pernambucanas, Vila Romana, TNG, Siberian, Luigi Bertolli, CNS, Arezzo, Walmart, Telhanorte, Center Castilho, Lojas Quero-Quero, Lustres Yamamura, Magazine Luiza, Lojas Americanas, Tiara Bolsas, Carla Amorim, Home Center TendTudo, Casa Show, Rodobens, Grupo Dirija, Stefani, UAB-United Auto do Brasil, Lojas Lebes, Ughini, Obino, Bob’s, KFC, Giraffas, Spoleto, Montana Gril Express, Mega Matte,  entre outras.

O Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A. (Coordenador Líder), o Banco Morgan Stanley S.A., o Banco BTG Pactual S.A. e o Banco Itaú BBA S.A. (Coordenadores), coordenarão a distribuição pública primária e secundária de ações ordinárias de emissão da Linx S.A.

 

Saiba mais sobre as quatro empresas de TI que já negociam seus papéis publicamente nos Novos Mercados da Bovespa.

Ideiasnet
A Ideiasnet é uma venture capital –de capital aberto, claro—que investe em empreendedores no Brasil e nos outros países da América Latina. A companhia afirma que participa ativamente de todos os estágios das empresas em que investe e foca seu portfólio nos segmentos de Digital Commerce, Digital Media, Software, Mobile, Tecnologias para Educação, Saúde e Indústria Financeira.

“Nosso modelo visa dar suporte e autonomia aos empreendedores com uma visão de longo prazo e foco no mercado brasileiro”, diz o site da empresa.

Atuando no mercado brasileiro de 1999, a Ideiasnet divide sua história em alguns períodos de tempo. Entre 2000 e 2004, por exemplo, foi feita a abertura de capital e a incorporação do Fundo Pactual de Internet. Já no período de 2005 a 2009, a companhia fez investimentos em empresas como NetMovies, Bolsa de Mulher e MOIP.

Atualmente, fazem parte do time de executivos da Ideiasnet nomes como Sami Haddad (CEO), Alexandra de Haan (CFO), Everson Lopes (Portfolio Director) e Michael Nicklas (Portfolio Director). Michael foi quem fundou o Startupi em 2008 e, atualmente, é um dos nossos conselheiros aqui. A Ideiasnet negocia suas ações na bolsa sob a sigla IDNT3.

Bematech
A Bematech, com sede em Curitiba, é provedora de “soluções completas” em tecnologia para o varejo, com o objetivo de “otimizar os negócios dos seus clientes com uma plataforma integrada composta por sistemas de gestão, equipamentos, serviços e treinamentos aplicada às mais diversas necessidades do mercado”.

As origens da companhia remontam ao ano de 1987, quando seus dois fundadores, Marcel Malczewski e Wolney Betiol, começaram o curso de pós-graduação que resultaria em um projeto de empreendedorismo envolvendo sistemas de impressão matricial por impacto. Em 1989, o projeto foi aceito na recém-fundada Incubadora Tecnológica de Curitiba e, em 1990, foi construída a Bematec (sim, a grafia ainda era outra).

Foi ainda em 1990 que a empresa captou recursos na iniciativa privada e ganhou seis novos sócios. Então, foi criada a “Bematech Indústria e Comércio de Equipamentos Eletrônicos S/A” (agora com a grafia atual).

Em 1993, a empresa iniciou a venda de impressoras para automação bancária e, no até o ano 2000, a companhia viu um grande aumento no seu faturamento, com o aumento do uso das impressoras fiscais no país. Foi também no ano 2000 que a Bematech começou a se preparar para a oferta pública inicial que só viria sete anos depois. “A Bematech deu início à reformulação do estatuto social e do acordo de acionistas para adaptá-lo as regras do novo mercado da BOVESPA”, diz o site da companhia.

Nos anos que se seguiram, a companhia iniciou a exportação blocos matriciais, ampliou sua linha de produtos para a automação comercial e forneceu impressoras para o projeto envolvendo urnas eletrônicas. Em 2006, a companhia afirma ter se consolidado “como provedora de soluções completas em tecnologia para o varejo”, com a aquisição de três empresas: GSR7, Gemco e C&S.

O ano de 2007 veio com a oferta pública de ações, no setor de Novos Mercados da Bovespa, e a abertura de sedes na Argentina e na Alemanha. 2008 trouxe novas cinco aquisições: Rentech, Snack Control, CMNet, MisterChef e Logic Controls (dos EUA). Atualmente, a empresa negocia seus papéis sob a sigla BEMA3 e remodela sua unidade de software.

Positivo Informática

A Positivo Informática atua no mercado de hardware (vendendo itens como computadores e notebooks) e de tecnologia educacional. As origens da empresa estão ligadas ao Grupo Positivo, do segmento de educação, criado em 1972, mas a companhia só foi criada em 1989, com a missão de vender computadores para escolas do Grupo Positivo.

Além de notar uma demanda por computadores em outros segmentos, a Positivo começou, em 1994, a vender softwares educacionais para escolas e lojas do varejo. Em 2004, começou a vender computadores também para as lojas de varejo e no ano de 2006 a empresa afirma que ultrapassou a marca de 1 milhão de máquinas produzidas.

A oferta pública inicial veio em 2006 e foram captados R$ 604,1 milhões. Nos anos seguintes, a companhia fez a aquisição da marca de computadores Kennex e fechou uma parceria com a BGH, do mercado argentino. Em 2011, lançou seu primeiro tablet e iniciou suas vendas no mercado argentino.

O ano de 2012 veio com uma série de rumores de que a Positivo seria comprada pela chinesa Lenovo, mas a negociação foi negada e a Lenovo acabou anunciando a compra da CCE. A empresa negocia suas ações na Bovespa com a sigla POSI3.

TOTVS

A TOTVS é uma companhia de software, serviços e tecnologia, considerada a sexta maior desenvolvedora de sistemas de gestão integrada do mundo, segundo informações divulgadas pela própria empresa.

Nascida com o nome de Microsiga Software, a companhia foi criada em 1983 e se expandiu para o exterior em 1997 (abriu uma unidade na Argentina), nove anos de realizar sua oferta inicial, em 2006.

Uma curiosidade sobre o IPO da TOTVS é que, em 2010, ele foi considerado o IPO com melhor desempenho registrado no Brasil. “Desde a sua oferta no mercado, a ação da empresa de software teve rentabilidade de 219,06% acima do Ibovespa”, dizia matéria do jornal “O Globo”, na ocasião. A TOTVS lista suas ações na Bovespa com a sigla TOTS3.

Leia mais sobre o IPO da Linx