Eles não inventaram o social commerce, nem as lojas virtuais, nem as permutas, nem as moedas próprias, mas viram que havia bastante espaço para inovar em um mercado que estava movimentando um grande volume: o de trocas corporativas.

Evoluindo a partir desta visão, surgiu a Oxibiz, plataforma que integra uma série de funcionalidades e dá alguns passos além em vendas e trocas corporativas, sem esquecer do varejo. Os dois co-fundadores somam experiências comerciais e corporativas e investiram juntos um montante de R$ 1 milhão para operacionalizar o site, que está em beta.

Para agregar maior funcionalidade e eficácia para os usuários e empresas que vendem produtos e serviços, a Oxibiz, primeira e única rede social commerce, passou a disponibilizar plugins para exportar a loja e produtos para qualquer site da internet com a funcionalidade de vendas.

 Os aplicativos disponíveis são divididos em duas categorias, uma delas é o “Box de Produtos”, que permite criar uma caixa de visualização de mercadorias para colocar dentro do site fora da rede. Esse plugin é ideal para quem ainda não tem um e-commerce, mas quer divulgar visualmente produtos tornando-os mais atrativos aos consumidores oferecendo ainda diversas formas de pagamento.

Já com o “Minha Loja”, o vendedor agrega ao site um botão “visite minha loja” que irá direcionar o visitante para uma página com todos os produtos do lojista cadastrado na Oxibiz, ampliando então a visibilidade do negócio para compradores que estão fora da rede. O lojista poderá ainda fazer a campanha de sua marca por meio de um banner personalizado no topo da pagina do plugin “Minha Loja” com o sistema de publicidade da Oxibiz, levando maior rentabilidade e exposição para a marca.

Todas as soluções da ferramenta são integradas com a rede de social commerce. Além disso, os clientes com perfil no site contam com diversas vantagens como a possibilidade de oferecer cupons de descontos para seguidores e o sistema de pagamento próprio, o Oxipag, que traz maior segurança nas transações.

“É um grande beneficio para nossos usuários poder exportar os produtos cadastrados na rede social Oxibiz, divulgar estes em qualquer site da internet e aceitar diversas formas de pagamento para finalizar uma venda, sem o custo e as dificuldades de se criar um e-commerce. Nosso objetivo é oferecer uma plataforma prática e lucrativa para oferta e aquisição de produtos”, explica Michael Albin, Sócio Fundador da Oxibiz.

“Sempre vimos os ‘market places’ com bons olhos, e resolvemos inovar trazendo mais interação social para todo o e-commerce. Então a Oxibiz é um espaço onde qualquer pessoa ou empresa pode construir a loja virtual, sem burocracia e custos, permitindo ainda que as pessoas debatam e opinem sobre os produtos, as lojas e diversos temas”, explica Cássio Krupinsk, o outro co-fundador da Oxibiz.

Reunindo o que há de melhor em termos de tecnologia e navegação em redes sociais e market places, a Oxibiz funciona de forma simples e prática. O usuário se cadastra, cria o perfil e passa a contar com um mural de atualizações, onde são compartilhadas informações entre ele e seus contatos. No próprio perfil, é possível a criação de uma loja virtual, onde o usuário pode passar a oferecer produtos e serviços, inclusive, oferecendo cupons de descontos para os seguidores.

A Oxibiz leva suas ofertas para além do próprio site. Através de plug-ins, o usuário pode exportar a loja ou produtos para qualquer outro site, suprindo a necessidade de um e-commerce, ampliando e compartilhando a visibilidade do negócio para compradores fora da rede. Para aqueles que só têm interesse de compra, a rede social traz o Oxishop, a vitrine virtual que reúne produtos e serviços apresentados por todos os vendedores.

Sistema de pagamento próprio

Para levar mais segurança a todas as transações, a Oxibiz desenvolveu o próprio meio de pagamentos, o Oxipag, que reúne apenas as informações pessoais e de entrega, sem ter nenhum contato com os dados do cartão, estes que são manipulados única e exclusivamente pela Cielo. A solução apresenta uma série de formas de pagamento, como os cartões VISA, Mastercard, American Express, Elo e Visa Electron, além de transferência online com os bancos Itaú, Bradesco e Banco do Brasil e boleto bancário.

Com o Oxipag, o consumidor paga, e assim que a entrega do produto ou realização do serviço for finalizada, a Oxibiz libera o pagamento para o vendedor, propiciando mais garantias para todos os lados da negociação.

Moeda própria e permuta multilateral

Em mais uma inovação, a Oxibiz trará a possibilidade de troca de produtos e serviços no e-commerce, a chamada permuta multilateral. Para isto, a rede social criou a moeda virtual Biz, que a partir da transferência de créditos Biz entre as contas, os vendedores podem comprar e vender bens, o que permite manter o fluxo de caixa e eliminar estoque ocioso.

“Acreditamos que o sistema de permuta multilateral aplicado ao social commerce através de uma moeda virtual será um grande diferencial, ajudará empresas e vendedores a conservar o fluxo de caixa, eliminando estoque parado, capacidade ociosa e, principalmente, abrindo um novo canal de vendas”, explica Michael Albin, sócio fundador da Oxibiz.

Investimento e expectativas

Prezando pela usabilidade, navegação intuitiva e amigável, além do modelo de negócio inovador nesta rede social de social commerce, a expectativa dos empreendedores são as melhores. “Esperamos em cinco anos nos tornar líder de mercado entre os market places. A expectativa é que em dois anos de operações tenhamos mais de R$ 408 milhões em vendas transacionados e mais de R$ 2 milhões de negócios realizados. Se mantivermos essas previsões, devemos fechar o segundo ano com uma receita superior a R$ 47 milhões”, completa Krupinsk.