Quem conta esta história é a Anna Haddad.

“Em termos gerais, o Cinese é uma plataforma de crowdlearning que nasceu do nosso descontentamento  (meu e da Camila, irmã e co-fundadora) com o sistema tradicional de educação e da ideia de que todo conhecimento é útil e todo mundo tem algo para compartilhar.

Mais ainda, de que essa troca tão fértil pode ser feita em qualquer lugar, sem imposição de conteúdos, burocracias ou barreiras institucionais. Também, de que tudo pode ser fonte de inspiração e aprendizado, como as pessoas e as cidades.

A plataforma usa as ferramentas online para facilitar o encontro de pessoas interessadas em trocar conhecimentos e experiências. Os encontros são presenciais. Achamos que é só assim que a troca é genuína e acontece de verdade (ainda que, em um segundo momento, a interação passe a acontecer também online). Objetivamente, qualquer um pode, através do site, propor um encontro ou participar de um que esteja acontecendo. O usuário que propõe o encontro tem total liberdade para escolher tema, conteúdo, lugar, data e preço, se achar que deve precificar. Não há restrições e o Cinese não modera nada. Não queremos curar ou dizer que conhecimento é ou não é válido.

Então, automaticamente, o encontro proposto vai para o ar e fica disponível na busca. Os usuários podem buscar os encontros por local e categoria, interagir na página do encontro escolhido e se inscrever via plataforma de pagamento seguro. Nessa primeira versão que está no ar, é possível oferecer apenas encontros gratuitos, mas em breve faremos a integração com o PayPal.

Blog também tem informações relevantes, conteúdo bacana que produzimos com frequência sobre o movimento crowd e desescolarização, além de tudo o que já publicaram sobre a gente”.

Eu gostei do exemplo (duas irmãs empreendendo com inovação na área de educação) e do produto em si. E vocês?