Um estudo com 223 incubadoras em todo país, feito pelo Sebrae, revela que a gestão é uma das principais dificuldades das incubadoras. “O estudo mostra que é preciso aumentar o número de empresas incubadas em todas as regiões, continuar com os subsídios, mas diversificar as fontes de arrecadação”, ressalta Carlos Alberto dos Santos, presidente da entidade.

Pensando nisso, o Sebrae lançou um edital no valor de R$ 28,2 milhões para apoiar 160 incubadoras. Serão selecionadas 40 incubadoras de maior porte que receberão recursos não reembolsáveis de R$ 300 mil cada uma. Além disso, 120 incubadoras de menor porte devem ser escolhidas para receber R$ 120 mil.

Informações: Beth Matias (Agência Sebrae).

Para receberem os recursos, as incubadores devem adotar as práticas-chaves do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne), um modelo de gestão criado pela Anprotec, em parceria com o Sebrae, para certificação de incubadoras de empresas. O Cerne foi inspirado nos modelos desenvolvidos pelos Small Business Development Centers (SBDCs) e Business Innovation Centers (BICs), programas de apoio às micro e pequenas empresas norte-americanas e europeias.

Os projetos devem ser apresentados até 16 de março. As incubadoras interessadas podem acessar o site do Sebrae para ter mais informações. A  Anprotec também disponibilizará um hotsite sobre o assunto. A divulgação dos resultados acontecerá até 13 de abril e os convênios devem ser assinados até junho.