Já ouvi algumas pessoas dizerem que não usam o site de relacionamentos profissionais Linkedin porque ele só é realmente usado por quem trabalha com TICs, inovação e empreendedorismo.

Será mesmo? 

 

Vi um tweet da Martha Gabriel que me levou para um infográfico de Pedro Caramez e Silvino Santos no LinkedPortugal, que divulgo abaixo. As informações são do próprio Linkedin. Surpresa: brasileiros que trabalham com TICs são apenas o quarto grupo mais populoso no Linkedin, empresários são o nono! Nas categorias, “proprietário” aparece apenas como a quarta definição mais utilizada.

Vale lembrar que esses dados referem-se à quantidade de perfis criados. Agora, será que alguém consegue medir o movimento, o efetivo uso da rede? Daí sim, talvez entusiastas de TICs e empreendedorismo acabem utilizando mais. Não adianta eu tentear analisar o movimento na minha rede, porque a extrema maioria dos meus contatos é de TICs, empreendedorismo, inovação. Alguém sabe?

E como será nas outras redes? Alguém aí quer compartilhar aqui com a gente?