Um dos principais mercados de compras coletivas do mundo, o Brasil deve movimentar até R$ 1 bilhão em 2011, nos mais de 1500 sites disponíveis. Entre ofertas para restaurantes, serviços e lazer estima-se que de 20 a 30% dos cupons sejam desperdiçados por diferentes razões. Com este alto índice de desistência, o Reurbano aposta no aquecimento de um mercado secundário, o de negociação de cupons diretamente entre os usuários. 


De acordo com Felipe Lachowski, diretor da empresa, a plataforma permite que o cupom não seja desperdiçado. “Acredito que um dos pontos positivos deste segmento é possibilitar a reutilização dos cupons já adquiridos. Assim, o usuário que comprou o voucher não perde o dinheiro, e o estabelecimento recebe sua parte do comissionamento”, explica Lachowski. Existe um nicho de pessoas que enxerga um potencial de lucro com a compra e revenda das ofertas que têm mais qualidade.

O site serve como um marketplace de ofertas, adicionadas pelos próprios usuários. O sistema já traz automaticamente os detalhes do cupom, e o vendedor só precisa colocar o valor que deseja vender o desconto, que pode ser inferior ou superior ao ofertado originalmente. Segundo o diretor, a grande novidade é dar uma segunda chance às pessoas comprarem os melhores cupons de cada site, quando elas quiserem. “Se o usuário estiver procurando por uma pizza, por exemplo, ele não precisa ter a sorte de encontrar uma boa oferta em algum dos sites. Basta acessar o Reurbano, e escolher a opção que mais for de seu agrado”, acredita.

Para facilitar a busca de melhores oportunidades, a plataforma realiza um processo orgânico de qualificação, destacando as melhores ofertas no topo da lista. “Oferta boa é aquela que vende mais, e a plataforma do Reurbano permite que elas sejam encontradas com mais facilidade”, diz Lachowski. E a compra através do mercado secundário traz ainda outra vantagem: o uso imediato do cupom, sem ter que esperar a oferta ser ativada.

De acordo com Ricardo Saad, diretor de marketing do Reurbano, a fomentação deste mercado secundário fortalece ainda mais o primário. “Sites de recompra coletiva são uma realidade no exterior, e complementa o modelo de compra coletiva. O Reurbano não vai competir com Peixe Urbano, Groupon ou Clickon, pois dependemos deles para termos boas ofertas disponíveis; assim como eles dependem da liquidez do mercado secundário para estimular a compra por impulso”, enaltece o executivo.

Consertar algumas falhas existentes no modelo atual dos grupos de compras é outro ponto de destaque do Reurbano. “Diariamente, podemos pinçar uma ou outra oferta realmente boa em cada site. Montamos um sistema que classifica as melhores, de acordo com a atratividade dela”, diz Saad. “O Reurbano vai além de um agregador de ofertas, pois destacamos o que o próprio usuário classificou como uma boa oferta, sem comercializar esse espaço”, conclui o diretor.

Sobre o Reurbano

Criado em 2011, o Reurbano (www.reurbano.com.br) entra no mercado para suprir uma demanda de 30% de cupons de compras coletivas, que normalmente são descartados por falta de uso. Em seu site, a empresa disponibiliza uma plataforma que permite, de maneira rápida e fácil, a revenda destes vouchers. A empresa foi criada por um grupo de ex-alunos da Universidade de São Paulo, entre eles Felipe Lachowski, com experiência no gerenciamento comercial do Groupon, e Ricardo Saad, engenheiro.