Nem só de polí­tica vive Brasí­lia/DF! Isso é óbvio, mas é sempre bom reconhecer coisas notáveis. Ainda mais quando são diferentes e autênticas. Vejamos.

Comecemos com um depoimento contextualizante. “Brasí­lia foi consumida na última década pelo câncer dos concursos. Apavora-me perder tantos amigos (e excelentes profissionais) para o serviço público. Por aqui, somos minoria e comumente taxados de displicentes por não entrar na onda. Tenho visitado universidades e eventos técnicos com bastante frequência pra falar da cultura startupeira (como o StartYouUp).

Há algum tempo, ensaio a realização, por aqui, de algum encontro de empreendedores, pra ver se desperta no pessoal uma outra perspectiva profissional. A realização do StartupMeetup é um excelente começo para o desenrolar de algo maior, efetivamente mobilizador. Ademais, dada a insegurança do povo local, comecei, no último ano, a fomentar um modelo de rede para o empreendedorismo de ideias“.

Realmente, foi um bom começo. Ale organizou o I Startup Meetup Brasí­lia com o faiscante e premiado Marcos Roberto Martins (da Intacto TV) e foi um sucesso. Roberto Mascarenhas Braga, da startup IPe Engenharia de Rede, manifestou: “particularmente, nunca tinha visto tantos empreendedores de Brasí­lia juntos em um evento. ɉ um ótimo sinal que a cena de empreendedorismo digital da capital está se movimentando, com grandes ideias e gente que trabalha de verdade. As fotos do evento estão no Flickr“.

Recentemente, a turma com coceira de vamos-fazer-mais-e-melhor-juntos começou a realizar um encontro periódico chamado Startudojo, em que os participantes realmente agem como uma consultoria e ajudam um ao outro a colocar a mão na massa para melhorar os modelos de negócios de cada um.

A dedicação é tão real e presente – muito além da bullshitagem de massagem de egos que começa a pipocar – que os profissionais abriram um blog de verdade, o Startupei.ro, para registrar e amplificar todas as experiências.

Pode ser que poucas andorinhas também não façam verão, mas com certeza muitas andorinhas não fariam verão sem o mindset apropriado, como o desses brasilienses. Quero dizer: mesmo que a soma desses eventos, experiências, startups, empreendedores não represente um Vale do Silí­cio, quem se importa? Afinal, eles estão “alive and kicking” de forma autêntica, não baseada em hype! Vale lembrar que da grande Brasí­lia saíram Marco Gomes (boo-box) e Júlio Vasconcelllos (Peixe Urbano) – só para citar.

Até um pouco fora do eixo especificamente empreendedor digital encontramos vida fresca pulsante. Por exemplo, em torno do evento mensal Ossobuco, de ideias extravagantes – que a design thinker Renata Lemos me recomendou veementemente. De repente, significa! Que Brasí­lia tem jeito ;) Vai depender do que se fizer em Brasí­lia e com Brasí­lia.

Esta matéria faz parte da missão Vales do Brasilí­cio.