Finggers é uma rede social criada para permitir que seus usuários se expressem através dos aplicativos que usam em seus iPhones e iPads, conhecidos como €œApps€.

Qualquer pessoa pode entrar no site, criar um perfil e publicar os seus Apps favoritos, acompanhar quais Apps seus amigos usam e gostam, trocar mensagens, sugestões, escrever reviews sobre os Apps e comentar as ações dos demais usuários. Tudo isso gratuitamente.

O Finggers é diferente dos outros sites e diretórios focados no assunto porque foi pensado como uma verdadeira rede social, onde as pessoas podem se relacionar através dos Apps. As pessoas expressam sua identidade pelos Apps que tem, e os Apps ganham identidade pelas pessoas que os tem.

O serviço é gratuito para os usuários e tem um sólido modelo de negócios baseado em publicidade direcionada, pacotes de serviços e métricas para os desenvolvedores de Apps do mundo todo, para agências de publicidade e empresas conectadas ao universo mobile.

Além dessas novidades o Finggers lançou o fgg.rs, um serviço que encurta os endereços eletrônicos dos Apps, onde qualquer pessoa, blog, ou empresa, estando cadastrados no Finggers ou não, podem encontrar o App que desejam e criar um link super curto para ele, que pode ser enviado via Twitter, e-mail, SMS e etc.

Os sócios – Dennis Schwartz é de Campinas, Ricardo Longo (filho do Walter Longo) e Breno Masi são de São Paulo. Eles são sócios da Fingertips, mas as duas coisas são completamente separadas. “O Finggers não pertence à Fingertips, apesar do nome semelhante – é uma confusão que muita gente já fez, por isso gosto sempre de esclarecer”, esclarece Dennis.

O investidor – “Nosso investidor é angel, é um empresário de São Paulo, que também tem negócios nos EUA e investe tanto aqui no Brasil como lá. Ele atua em áreas mais tradicionais da economia, mas é apaixonado por tecnologia e por isso investe em projetos inovadores com boas perspectivas econômicas. Quando apresentamos o projeto a ele, já havia um protótipo totalmente funcional e uma apresentação bem estruturada. Foi amor a primeira vista: ele entendeu bem nossa idea e apostou quase sem pensar. Ele logo percebeu que além da ideia, havia um modelo de negócios viável já pensado e várias alternativas para o médio prazo. Além disso, apesar de estarmos em um nicho, o mercado em que atuamos está muito aquecido e a perspectiva é pegar fogo daqui pra frente, cada vez mais, gerando inúmeras possibilidades de saída. Ele tem um perfil bastante “low-profile” e prefere não aparecer muito por enquanto”.

Linha do tempo – Da ideia inicial até o lançamento do site, foram quase 9 meses de trabalho, possível graças ao aporte financeiro do investidor. Nesse tempo, a empresa construiu sua plataforma tecnológica com todos os recursos necessários e conta com o catálogo completo e atualizado de mais de 244 mil apps disponíveis na loja on-line da Apple. Desde o lançamento da versão beta, há pouco mais de dois meses, aproximadamente 8.000 usuários já se cadastraram, compartilharam mais de 110 mil aplicativos e criaram mais de 50 mil conexões entre si. Os sócios estão animados com o sucesso e aceitação do negócio e planejam expandir sua base de aplicativos para as plataformas Android, do Google, Blackberry, da RIM e Ovi Store, da Nokia.