Esta é a parte 2 do artigo Educação bootstrap.

Vocês já testemunharam o que acontece em cidades brasileiras quando uma corporação multinacional estrangeira desinstala suas unidades? Ela deixa para trás milhares de pessoas sem emprego e um mercado sem condições de absorver o impacto econômico. Assim também acontece com qualquer sistema fechado, seja um governo pai-de-todos ou uma empresa nacional que, por sua grandeza, lhe seja proporcionada tanta autonomia e autoridade a ponto de funcionar como uma usina nuclear: se você desligar ou parar de dar manutenção, ela explode e acaba com as coisas ao redor. Reconheça a interdependência entre todos agentes e fatores, abrace a co-autoria!

Ser uma empresa (ou projeto) nova, pequena e experimental proporciona que cada esforço seu que conseguir crescer, se multiplicar e se acoplar (combinar com outros) vai conseguir ter continuidade, ser sustentável por meio da graça de sua grandiosidade, não da força de sua grandeza. Não há nem mesmo no Fórum Social Mundial mais socialismo ou comunismo do que na nova economia do Vale do Silício estendido global, baseada em dinheiro, perguntas e respostas em uma intensa dança colaborativa de aprendizado e realização.

Um novo mundo é possível e passí­vel de acontecer a todo instante se ao invés de você usar seu conhecimento e sua verba para “educar o consumidor” você use seu tempo e sua inteligência para aprender com ele o que realmente torna melhor a vida dele (e, em última instância, de todos, do planeta e do universo). Já chegou o momento em que adotamos o capitalismo – enquanto doutrina abstraí­da no empoderamento individual por meio do dinheiro – passa a ser um complemento acelerador e viabilizador de coisas que construí­mos juntos para nos fazerem o bem sempre.

Se você quer empreender com web e não consegue perceber uma oportunidade de negócio (seja tecnológico ou social), sugiro que pare de ler manual de instrução e caso de sucesso e passe a conversar com as pessoas na rua. Elas sim tem uma noção da realidade e da necessidade de um atendimento. Chega de alimentar desejos evanescentes com a maquiagem viciante do consumismo aspiracional e se saciar com bônus. “Você é só um brinquedo”, avisa a animação Toy Story.

A melhor, mais aventureira, arriscada e lucrativa ideia posta em prática encontra consistência nas mentes daqueles que acreditam sim em justiça, progresso e meritocracia, mas sem impor, apenas oferecer. Da mesma forma que empresas e escolas vendem ilusões, fantasias e imaginações, há toda uma geração de inovadores sociais e tecnológicos realizando negócios que muito investidor adoraria ter apoiado.

O Pablo Handl, que há 4 anos vem fazendo o The Hub São Paulo deslanchar, lamenta o fato de “sua” incubadora social ser conhecida pela imprensa mais como lugar de co-working (escritório compartilhado) do que de inovação. Sobre isso eu digo: vem acontecendo inovação por Pablo e equipe proporcionarem que as pessoas com brilho nos olhos trabalhem juntas de uma forma diretamente relacionada ao mercado.

Então mexa-se, o Brasil não é mais apenas o que costumava ser – paí­s do futuro, do carnaval, da natureza e do futebol. Quem não sabe brincar, vem pro playground aprender junto e dar o seu tempero na brincadeira! Chega de bolha, de colchão de amortecimento, jogue-se na realidade, atualize seu castelo de cartas marcadas, marque as suas próprias cartadas! Não deixe de plantar seus sonhos no coração das pessoas só porque não consegue vendê-lo para grandes capitalistas de risco! Tente sonhar com mais gente e ver o que acontece! Tente micro-crédito comunitário, tente reunir pessoas. Aprenda fazendo negócios para um mundo radicalmente melhor – melhor desde as raízes, que buscam nutrientes e sustentam a planta!

Para encerrar, um pensamento em defesa daquilo que emerge e daquele que colabora para converter caos em ordem saudável espalhada: “a força do direito deve vencer o direito da força”. Foi dito não por um idealista, não por um ativista, mas pelo símbolo capitalista máximo da beleza imaculada e do consumo de luxo, a boneca mais vendida do mundo: Barbie, em Toy Story 3. Agora corra pra Escola de Inverno, pois a programação gerada por usuários está excelente – ou fique ligado no Twitter, é comum alguém fazer streaming!