Pela segunda vez, The Hub São Paulo e Artemisia Brasil se juntam para promover o evento de avaliação de novos negócios Start-up Lab. Na noite desta quarta-feira, oito empreendedores terão cinco minutos (cada um) para fazerem um elevator pitch, apresentarem seu negócio para avaliadores com experiência em gestão de negócios e colherem feedback.

Depois da Economia do Trabalho, vivemos a Economia da Informação e nos direcionamos para a Economia do Relacionamento. Este é o cenário dos negócios em torno do The Hub. “Muitas das ideias progressistas são de startups. O próprio Hub é uma startup, mas não vai permanecer assim para sempre”, exemplifica Pablo Handl, empreendedor do The Hub São Paulo.

The Hub pode ser entendido como um escritório compartilhado, com unidades em diversos países, para sinergia e colaboração entre profissionais e empresas. Além disso, seu formato em rede o dota de potencial para ser um verdadeiro “ecossistema de inovação em negócios sociais, uma rede de pessoas envolvidas em projetos diferenciados, que buscam mais do que o lucro, mas a promoção de uma sociedade mais sustentável” – define Pablo. Empresas de software como a Amanaiê, especializada em aplicativos sociais, também funcionam no Hub.

A filosofia do Hub é apoiar e dar condições aos profissionais interessados em inovar na área social. “Entre as pessoas desta rede social – e outras, inclusive informais – se troca valores formais e informais, o capital social”, acrescenta. “O profissional pode encontrar aqui várias coisas, ele tem que definir se estar aqui no Hub agrega valor não apenas para seu trabalho, mas para a sua vida”, acredita Pablo, que passou dois anos planejando o início das atividades, que já somam um ano.

Esta configuração conceitual e funcional torna o Hub parceiro, entre outros casos, da Artemisia, organização internacional que desenvolve modelos de negócios sociais. Os profissionais envolvidos investem no desenvolvimento de capital humano para o gerenciamento de empreendimentos rentáveis que diminuam desigualdades socioeconômicas.

Recentemente, uma representante paulistana foi participar de um encontro internacional do Hub, em Estocolmo. Em breve, o Hub vai enviar 10 empreendedores paulistanos para trabalharem em organizações inseridas na economia criativa de Roterdam (design, arquitetura e relacionados).

Por tudo isso, The Hub é um exemplo de rede de negócios (business web): modelo de negócios em que os produtores (fornecedores), os consumidores e os eventuais prossumidores (simultaneamente produtores e consumidores) interagem agregando valores além dos limites de suas organizações.

Leia aqui sobre a primeira edição do Start-up Lab, cadastre-se aqui para assistir a esta edição e siga o The Hub no Twitter.