Fui um dos 30 convidados para participarem nesta sexta feira da roda de conversa promovida na Fiesp pelo Ministério da Cultura para lançamento do Fórum da Cultura Digital Brasileira.

Na ocasião, a rede social culturadigital.br, que é focada na elaboração colaborativa de políticas públicas, deixa de ser restrita a convidados testadores (como eu) e passa a estar disponível publicamente.

Participarão desta conversa para abertura pública da rede social o próprio Ministro da Cultura, Sr. Juca Ferreira e outros representantes do governo envolvidos. Interessados poderão assistir à transmissão da conversa em tempo real, às 15h desta sexta-feira 31 de julho, no link www.culturadigital.br/aovivo.

A proposta do Fórum da Cultura Digital Brasileira é aberta e participativa

O Fórum da Cultura Digital Brasileira conta com uma rede social para a produção colaborativa de uma política pública para o Brasil contemporâneo. Trata-se de uma plataforma web para suportar um amplo programa cultural baseado em conceitos e iniciativas gerados por cidadãos, que inclui eventos presenciais e está previsto para ter um encerramento em novembro.

O Fórum da Cultura Digital Brasileira foi lançado pelo Ministério da Cultura em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. O objetivo do fórum é, através de eventos presenciais, fomentar debates sobre cultura digital com ativistas e representantes de empresas, instituições governamentais e não-governamentais. É neste contexto que a rede social entra como um acelerador e aglutinador.

Rede social funciona como as outras, mas com foco em cultura digital e polí­ticas públicas

A plataforma web visa a reunir os cidadãos que estão pensando em como as tecnologias podem contribuir para melhorar a nossa sociedade, e todos que estiverem interessados em refletir sobre cultura digital. O próprio conceito de cultura digital encontra-se aberto. Além de reunir essas pessoas, o Cultura Digital está preparado para proporcionar interação entre elas e, assim, estimular a co-criação de eventos e projetos.

As atividades do usuário geram alertas do sistema, tipo “Ana e Joana agora são amigas” e o perfil gera feed de RSS (todo conteúdo novo e as ações geradas por um usuário dentro da rede podem ser acompanhadas fora da rede, com um leitor de RSS). A rede Cultura Digital também tem um agregador para indexar (coletar e exibir automaticamente) os conteúdos produzidos pelos usuários em outras redes sociais existentes, através da tag #culturadigitalbr.

Há inicialmente cinco eixos temáticos de discussão, mas cidadãos podem formar outros

O usuário da rede social Cultura Digital fica responsável por um perfil pessoal e pelo conteúdo que divulgar: fotos, ví­deos, links e textos no seu blog dentro da rede. Por meio dos perfis, os usuários podem reunir seus amigos, estabelecer redes de afinidade. Há também diversos grupos em que o usuário pode participar, como se fossem comunidades. As temáticas principais sugeridas são Arte e Tecnologia Digital, Comunicação Digital, Economia Digital, Infra-estrutura para a Cultura Digital e Memória Digital.

Iniciativa apresenta vários pontos positivos em destaque

Jé é altamente louvável o “simples” fato de o governo federal iniciar um movimento de abrir discussões com a comunidade, usando a web como base para estimular e mapear conversações num tipo de democracia digital (não apenas da informática, mas do Brasil). Entretanto, outras características técnicas e gerenciais valorizam o esforço:

  • A rede social é feita em BuddyPress, um plugin open source para WordPress MU;
  • Todo novo usuário tem um blog, lugar onde ele gera conteúdo e os outros podem comentar;
  • Mantendo característica do governo de investir em software livre que vá beneficiar toda a comunidade, não só o produto, mas o software em si;
  • Uso de WordPress no Ministério da Cultura;
  • Execução impecável: interface excelente, sistema excelente, sob coordenação do diretor do Laboratório Brasileiro de Cultura Digital, Rodrigo Savazoni, e do gerente de cultura digital do Ministério da Cultura, José Murilo.

Em breve, publicarei outro artigo para contar com foi o evento desta sexta-feira.

Siga o Ministério da Cultura no Twitter.