O Orangotag já é um serviço bem conhecido de muito viciado em séries de TV aqui no Brasil. Permite gerenciar de forma fácil e rápida os inúmeros episódios e séries que você assiste para não esquecer de ver algum capí­tulo naqueles momentos de alta temporada.

ɉ possí­vel marcar individualmente episódios assistidos de uma determinada série ou marcar todos os episódios de uma temporada que já acabou. Estranhamente não tem como marcar todos os episódios de uma temporada em aberto. Na verdade mesmo que uma temporada tenha acabado ela continua “em aberto” até que uma nova temporada se inicie.

Apesar de existir um fator de colaboração no Orangotag – é possí­vel editar sinopses e sugerir episódios faltantes – senti falta de uma forma mais aberta de colaboração. Não é possível incluir séries como as brasileiras, por exemplo Capitu e A Grande Famí­lia.

Outro fato: todos os seriados americanos que procurei foram encontrados, mas tive que recorrer a nomes originais como Macgyver ou Knight Rider. Os “nomes brasileiros” como Profissão: Perigo e Super-Máquina, apesar de existirem na descrição, não são localizados na busca.

Distribuição

Um observador externo pode de repente achar estranho que pessoas tenham marcado séries e episódios que ainda não foram exibidos oficialmente no Brasil e considerar que isso é sinal de outra coisa. Sim, é um sinal de que o mercado de distribuição de mí­dia está em uma fase anterior ao que as pessoas querem, pelo menos no Brasil.

Lá fora é possí­vel assistir a muitas das séries diretamente no site das emissoras de TV ou servidos como o Hulu. Aqui no Brasil ainda dependemos do atraso de alguns meses em relação à exibição lá fora. O Orangotag, com datas sincronizadas com a grade de TV americana é só um forte sinal de que o mercado brasileiro precisa urgentemente de uma mudança ao estilo Hulu.