* Por Exame.com

A cidade de São Paulo ganhou nesta quarta-feira (30) o grande prêmio do Mayors Challenge 2016 (“desafio de prefeitos”, em tradução livre em português).

A competição foi criada pelo ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg para incentivar as cidades a elaborar ideias inovadoras que possam resolver grandes desafios e melhorar a vida da população por meio da tecnologia.

A prefeitura de São Paulo, sob a gestão de Fernando Haddad (PT), ganhou com a proposta de conectar, por meio de uma plataforma digital, agricultores locais dos arredores da cidade, que passam por dificuldades, aos mercados e restaurantes da capital, que necessitam de produtos orgânicos.

Neste ano, o prêmio acontece na América Latina e no Caribe pela primeira vez e teve o maior número de inscritos já registrados. Das mais de 900 cidades convidadas, 290 inscreveram seus projetos.

Em entrevista a Exame.com por e-mail, o chefe do Bloomberg Philanthropies’ Government Innovation portfolio, James Anderson, diz que o elevado nível de participação nesta edição do desafio mostra o quanto as cidades da região entendem como inovações bem executadas podem resolver problemas e melhorar a qualidade das futuras gerações.

“As cidades da América Latina e do Caribe são líderes em inovação, com uma história de preocupação com a comunidade e engajamento social que tem oferecido serviços públicos essenciais para populações difíceis de alcançar”, escreve Anderson.

O Brasil é o país com o maior número de cidades inscritas – 80 contra 59 do México. O país também teve o maior número de projetos selecionados entre os 20 finalistas. São cinco no total: das cidades de Barueri (SP), Corumbá (MS), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

Segundo Anderson, as propostas mais comuns apresentadas pelas cidades brasileiras abordaram temas que incluem a participação dos cidadãos na administração pública e a criação de plataformas para engajamento popular, assim como iniciativas empreendedoras na educação e renovação empreendedora dos mercados locais.

Entre os municípios brasileiros, apenas São Paulo ficou entre as cinco vencedoras, mas levou o Grande Prêmio, que equivale a 5 milhões de dólares americanos, para facilitar a conexão entre agricultores rurais e restaurantes e mercados.

A prefeitura de São Paulo afirmou na inscrição que, além criar renda para agricultores locais, o projeto pode ajudar a impedir que as terras de plantio sejam vendidas para empreendimentos imobiliários, em um processo que expande a cidade e afeta o abastecimento de água.

“A ideia de São Paulo é criativa e corajosa, abordando diretamente o problema do crescimento desordenado e da crise de abastecimento de água”, diz Anderson.

Outras quatro cidades levaram o prêmio de 1 milhão de dólares cada: Bogotá (Colômbia), Guadalajara (México), Medellín (Colômbia) e Santiago (Chile).

Segundo a organização do concurso, todas as cinco vencedoras foram eleitas com base em cinco critérios: a visão e a criatividade da sua ideia, o seu potencial de impacto, a capacidade de multiplicação e a sua viabilidade de implementação.

Segundo Anderson, elas serão agora monitoradas pela fundação de Michael Bloomberg para a implantação dos projetos. “Bloomberg Philanthropies faz parcerias com centenas de cidades no mundo e nós sempre fazemos acompanhamento para ter certeza que nossos investimentos são gastos para os objetivos que foram propostos”, afirma Anderson.

O anúncio dos vencedores está sendo realizado na tarde desta quarta-feira (30), na Cidade do México, e conta com representantes das cidades premiadas.

* Por Bárbara Ferreira Santos, da Exame.com