* Por Cláudia Mamede

Se você leu esse título na certeza que eu ia te dar os culpados, prepare-se!

Acredito que empreender é um dos caminhos que o ser humano pode exercer seu potencial de geração de riquezas e prosperidade no mundo. Colocamos toda nossa energia nele e, de repente, vimos e que a promessa não se realiza tão fácil quanto imaginamos, não é verdade? Nos deparamos, todos os dias, com muito esforço e sacrifício para pouco resultado. Encontramos pessoas frustradas, paralisadas, sem sair do lugar. E nos perguntamos: o que deu errado? Já que produzir riquezas é inerente ao talento humano, o que nos limita?

Aprendi recentemente, num processo de conhecimento metanoico* que o que nos limita é a Sabotagem! Parece impossível de acreditar, mas é o modo como muitos de nós agimos em nossa vida e trabalho. Os sonhos sãos grandes e as vontades são muitas, mas nossas atitudes muitas vezes vão na contramão dos nossos desejos mais profundos.

São três sabotadores que mexem com a razão e principalmente com o negócio de qualquer empreendedor, veja se um deles se encaixa ao seu momento:

A desatenção – Você sente que muitas vezes não está onde sua atenção está?  Numa reunião, por exemplo, estamos aparentemente atentos, mas nosso pensamento voa longe, no céu aberto da caixa lotada de e-mails, nos relatórios e nos telefonemas intermináveis. Ao final da reunião, você sai com a sensação de que ainda tem muito a fazer, mas nem sabe por onde começar.

Temos pressa! Temos de ser produtivos. E assim, nessa roda-viva, a vida passa depressa e, apressados e desatentos, perdemos oportunidades e nos afastamos cada vez mais da riqueza que tanto buscamos.

O desalinhamento – O desalinhamento pode ser percebido nas atitudes diárias, de como tratamos nossos parceiros e familiares nas relações mais íntimas ou apenas profissionais. Você faz o que fala? Faz o que prega nas suas reuniões e conversas com os amigos?  As gentilezas com os outros passaram a ser despercebidas? Mas no Facebook você compartilha e apoia ações que diz acreditar? Mas, esquece de dizer bom dia aos colaboradores quando chega na sua empresa ou de beijar seu marido ou filhos porque chegou muito cansada em casa?

Quando estamos desalinhadas, não estamos plenas. Nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos não seguem a mesma direção. Nem sempre o que dizemos é o que pensamos. Temos valores, mas não conseguimos vivê-los em sua plenitude, através de atitudes e ações. E, assim, reduzimos nossa capacidade de gerar abundância e prosperidade.

Mas não há motivo para desesperar, ainda dá tempo de alinhar tudo! Só precisamos ter consciência que ao vivermos assim, acessamos apenas parte da riqueza que merecemos.

A desesperança – Esse é o último, porém não menos sabotador dos trêsSe você tem a mentalidade de que “É assim, sempre foi assim, e nunca vai mudar” é porque você está usando esse sabotador a seu favor. Quando estamos desesperançados, perdemos a fé. Apoiar uma causa ambiental? Para quê? Participar de um movimento para mudar a economia? Perda de tempo! Mudar o jeito de fazer uma tarefa? Não funciona!

Uma das primeiras características do desesperançado é a comparação.  Compara-se os resultados de sua empresa com as concorrentes, os valores dos salários com os dos colegas, os feedbacks positivos que recebe da liderança. Mínimos esforços garantem mínimos resultados. Precariedade ao invés de riqueza. Cansados de dar murro em ponta de faca, os desesperançados abrem mão da conquista de uma vida e trabalho com abundância.

Saiba que não há nada mais libertador do que a Consciência. Sabendo e estando ciente do seu dilema você despertará para a solução assim que estiver ATENTA, ALINHADA com seus propósitos e ESPERANÇOSA!

*passagens inspiradas no artigo Os 3 Ds sabotadores  – Metanoia

Claudia Mamede Canal RME Cláudia Mamede, jornalista, roteirista, escritora graduada em comunicação social com ênfase em Jornalismo pela PUCCAMP. Empreendedora há mais de 5 anos, ex-sócia da PitchCom, diretora, colaboradora e mentora da Rede Mulher Empreendedora desde a fundação e curadora da Virada Empreendedora e do Fórum Empreendedoras.