* Por Heloisa Motoki

PARCERIA, pelo dicionário, é uma “reunião de pessoas por interesse comum; sociedade, companhia”. Em empreendedorismo, estabelecer uma parceria tem sido o sinônimo de buscar alguém ou empresa para juntos trabalharem em algum projeto, produtos e clientes comuns.

Para dar resultado em uma parceria, aqui vão algumas dicas:

1) Defina o propósito da parceria, estabeleça por quais motivos ela está sendo firmada, se vão atender um cliente comum, qual a responsabilidade de cada um no projeto, os prazos, o atendimento ao cliente e, o mais importante, como será atuação de cada um caso a parceria não dê certo. É comum contratos que estabelecem a não contratação ou captação do cliente no período de XXX anos. Lembre-se que acordos feitos verbalmente são facilmente esquecidos.

2) Definam sobre a atuação dos funcionários, estabeleça quem ficará responsável por eles, na definição dos trabalhos e na forma de delegar. Não há nada pior do que o funcionário ficar sem saber “quem manda”. Entre a parceria estabeleça também sob a não contratação em determinado período. Vejo muitas parcerias acabarem porque o parceiro achou mais barato contratar o funcionário do parceiro do que parceiro, ou o funcionário se oferecer a cortar o caminho e querer ganhar mais.

3) Conheça seu parceiro, veja como atende o cliente, se o propósito da empresa e dele é comum ao seu negócio. Hoje, com as redes sociais, vejo as pessoas formando parceiras sem de fato conhecer o parceiro. O fato da pessoa ser amigo do amigo ou participar de um grupo comum, não habilita em ser um bom parceiro. Lembre-se que a indicação de um parceiro ruim também pode refletir no se negócio. Para o cliente, se você está trabalhando com alguém ruim você também é ruim.

4) Prepare-se em delegar. Se você é muito centralizador, precisa estar preparado em delegar uma parte do projeto ou cliente. Essas definições precisam estar claras entre os parceiros, onde cada um deve chegar. Lembre-se que também nas parcerias, além das atividades desenvolvidas com o projeto, há outros projetos paralelos acontecendo ao mesmo tempo e que nem sempre você terá o controle sobre o que se parceiro está fazendo ou assumindo.

5) Cuidado com permutas (tipo de contrato no qual uma das partes é obrigada a dar algo em troca de alguma coisa, que não seja moeda financeira). Ela pode ser boa quando você está começando e não tem grana para investir, mas o grande problema é eu parceiro te colocar em último na fila por não ter o pagamento financeiro.

6) Relação com consumidor: estabelecer parceiras também requer definir com o seu cliente a relação com o consumidor, ele precisa saber quem está responsável pela entrega do produto e quem ficará responsável por garantias, trocas etc.

Fazer parceria não é ruim, ela é válida em qualquer estágio que seu negócio estiver. Juntar forças é sempre melhor que atuar sozinha, mas não é uma relação que precisa ser amadora. Por mais tentador que seja, pense antes de fechar qualquer acordo. Uma oportunidade pode se transformar em uma grande dor de cabeça.


heloisa motoki rede mulher empreendedora Heloisa Motoki é diretora administrativa e financeira da Rede Mulher Empreendedora, fundadora da Quali Contábil e consultora especial do site Fórum Contábeis. Participante do programa de Empreendedorismo pela FGV/Goldman Sachs – 10.000 mulheres. Há 18 anos no mercado contábil, atua diretamente com pequenas e médias empresas em São Paulo.