A estrada que se percorre durante a criação de uma startup é cheia de obstáculos difíceis de superar, isso todo mundo já sabe. Mas você não precisa passar por isso sozinho, nem conseguir resolver todos os problemas de uma vez. Conseguir parceiros que possam compartilhar e agregar valor ao seu produto ou serviço é uma forma eficaz de alavancar o seu negócio e ajudar seus parceiros a crescer também.

Para falar sobre quais parcerias podem te dar uma força nesse momento, Thoran Rodrigues, fundador e CEO da BigData Corp. palestrou na Campus Party, evento que acontece até o próximo domingo, 31, na capital paulistana.

Primeiro estágio

Thoran diz que no início da startup, as pessoas não compram o seu produto porque ele é bom, por melhor que ele seja; elas compram porque confiam em você. Por isso a sua rede de contatos é tão importante nesse primeiro estágio. Para começar, venda o seu produto para as pessoas próximas, porque ninguém conhece ainda o que você vende, mas as pessoas próximas a você conhecem o que você é capaz de fazer. Ex-professores, colegas de faculdade e parentes são potenciais clientes neste momento. Mas isso não significa que, por estar vendendo para pessoas que te conhecem há algum tempo, o seu trabalho vai ser mais fácil: “Quando você monta a sua startup, o seu tempo não é mais seu, ele é das outras pessoas que estão usando o seu serviço”, diz Thoran.

“A segunda coisa que mais acontece quando você começa a ter clientes é que eles começam a pedir uma customização”, diz o CEO. Quanto mais os clientes confiarem em você e no seu produto, mais elas vão demandar customizações do seu produto ou serviço. Para Thoran, este é um bom sinal, porque as pessoas estão dispostas a pagar bem por algo que atende suas necessidades de uma maneira personalizada, mas adverte: “Você não pode sair do caminho que imaginava no começo. Seu produto inteiro não tem que mudar para atender apenas um cliente. É preciso ter a liberdade de falar para o cliente que não vai fazer algo que não esteja de acordo com a missão da sua empresa”.

thoran rodriguem bigdata corp

Segundo estágio

Algumas pessoas já pagam pela solução que a sua startup oferece, aos poucos a demanda cresce, então está na hora de aumentar a equipe. Nesta fase, firmar parcerias com universidades é importante porque por meio delas você pode encontrar pessoas que você não conhece mas são ideiais para entrar em seu time. Outras empresas que estejam no mesmo barco que você também devem estar na sua mira, mesmo que não sejam do mesmo segmento. Procure conhecer startups que estejam dentro de aceleradoras e incubadoras, porque mesmo que você não esteja procurando uma aceleração, é bom conhecer quem está lá dentro pra criar uma rede de relacionamento e conhecer pessoas que fazem o que você faz e estão no mesmo momento que você.

Quando encontrar essas pessoas que podem integrar a sua equipe, Thoran dá a dica: “dinheiro não segura ninguém. Não adianta oferecer um salário alto se a pessoa não está alinhada com você ou não acredita o suficiente no propósito da sua empresa”. Para ele, um bom desafio e uma ideia interessante são bem mais eficazes para motivar colaboradores. “Mostre problemas interessantes no qual elas vão trabalhar e elas vão estar com você. Faça elas comprarem a ideia e motive elas a viverem os desafios com você, e então elas ficarão com você”, afirma Thoran.

Terceiro estágio

Agora que você tem clientes e bons profissionais no time, precisa equilibrar seu fluxo de caixa. É muito comum que as empresas paguem os fornecedores antes de receber dos seus clientes. Se o seu produto começar a bombar de uma hora pra outra, você pode ficar sem dinheiro para pagar quem te fornece seu material de trabalho. Construa relações sólidas e de confiança com seus fornecedores, porque se você tiver algum problema, eles podem ajudar a segurar a sua barra.

Quando você estiver pronto para aumentar a demanda, crie uma boa relação com a mídia (saiba como aqui). “Se as pessoas acreditam na sua empresa, você vende, mas quem não te conhece não tem como confiar na sua empresa”, diz Thoran. Tenha sempre boas novidades, conteúdo de valor e inove sempre, assim você conseguirá espaço na mídia e construirá uma boa reputação da sua empresa.

Quando você for para o mercado, tente não encará-lo como um cabo de guerra. “Mesmo que a pessoa tenha comprado do seu concorrente ela pode ser seu cliente”, diz Thoran. Construir parcerias com os concorrentes e grandes empresas é tão fundamental quanto com clientes, fornecedores e colaboradores. “Aqui (no Brasil) nós enxergamos concorrentes como rivais, mas temos que mudar isso e aprender a nos relacionar bem com o concorrente, porque aí todo mundo aprende junto com os erros e acertos”.

E, para finalizar, Thoran explica: “Faça parceria com grandes empresas, porque as startups dificilmente vão ter o tamanho e a marca dela”. Grandes empresas podem te dar uma excelente visibilidade no mercado e na mídia se você fornecer a ela conteúdo. “Se o seu conteúdo é de qualidade, as grandes empresas vão querer desenvolver com você seu produto, o que é uma grande oportunidade”, completa.

Acompanhe no Startupi a cobertura dos conteúdos mais interessantes da #CPBR9 e também o dia-a-dia do evento nas nossas redes sociais!