* Por André Bianchi

As citações, frases de impacto, frases de reflexão que estão na moda nestes últimos tempos são inspiradoras, mas você já parou para analisar se você é um mero leitor, apreciador ou se realmente estas mensagens podem lhe trazer transformações e até mesmo mudança de comportamento?

Segundo Steve Jobs, você não consegue conectar os fatos (pontos) olhando para frente, você só os conecta quando olha para trás. Hoje comentarei um pouco sobre como este trecho do famoso discurso na Universidade de Stanford fez sentido em minha vida pessoal e profissional.

No início de 2009, ainda na crise mundial que se iniciou nos Estados Unidos, minha empresa tinha somente três anos de vida naquele momento, algumas centenas de clientes em alguns estados do Brasil, ainda éramos pequenos e algo me deixava inquieto. Adepto da leitura de livros e periódicos relacionados a negócios, em uma entrevista li algo sobre o Estado da Florida ter aproximadamente 300 mil brasileiros e ao final foi citada a frase: “Enquanto uns choram, outros vendem lenço”, me veio à cabeça que deveria tentar levar meus serviços para os EUA.

Convoquei toda minha equipe de diretores, que eram dois e, por meio do Google, listamos dezenas de empresas correlacionadas à minha área de atuação para tentar agendar algo. Em três dias tínhamos conseguido agendar 10 reuniões em Miami. Em menos de 30 dias, juntamente com minha sócia Joyce Bianchi, nos encontramos com empresários, empreendedores e consultores. Um deles, por motivos da vida que não têm explicação, um consultor.

Encontramo-nos todos os dias e ao final do quinto e último dia, onde falamos sobre escalabilidade de serviços, receita recorrente, internacionalização da empresa, oportunidades fora do Brasil, posso dizer que foi um MBA intensivo em cinco dias. Horas antes de embarcar de volta, nos encontramos para um café e sem jeito perguntei, qual seria o valor de toda aquela consultoria, afinal, foram duas ou três horas por dia, sem dinheiro e um baixo limite no meu cartão de crédito (afinal, naquela época o dólar a R$ 1,80, impossível não fazer umas comprinhas no Sawgrass, Aventura dentre outros malls e outlets), ele me respondeu: “ Em que momento eu disse que cobraria algo? Simplesmente olhei em seus olhos, vi o quanto você estava procurando algo, se você acredita que o que conversamos lhe foi útil, quando você encontrar uma outra pessoa que você veja o brilho nos olhos, compartilhe suas experiências…” Um tempo depois entendi que ele seria meu primeiro mentor…

Sem ter vendido ou fechado negócios, voltei para Santa Cruz do Rio Pardo, matriz da empresa e comecei a aplicar tudo o que me fora passado e as experiências que adquiri ao conversar com as empresas de lá, tanto positivas quanto negativas. Chamei minha equipe que naquele momento era de sete pessoas e disse que daquele momento em diante iríamos mudar, em conjunto, todo o modelo de negócio da empresa.  Em 2012,  a convite da  Amcham, participei de minha primeira Missão Internacional de Negócios em Virginia, Maryland e Washington. A minha empresa era a menor das participantes e, desta forma, em todos os eventos ou jantares eu mais observava, ouvia, aprendia com quem já tinha trilhado caminhos mais ousados e já tinham de certa forma atingido o sucesso.

De 2010 a 2013, nosso faturamento aumentou 10 vezes, a equipe chegou a 40 pessoas, saímos de uma casa alugada para uma sala comercial de aproximadamente 220 metros quadrados. Porém, devido ao meu perfil empreendedor e não gestor, no inicio de 2013 percebi que eu estava virando um executivo e não era bem isso que eu queria. Joyce Bianchi assumiu a empresa e eu fundei uma pequena holding de investimento próprio e neste momento, um conhecido meu sugeriu, por que não criar uma Missão Internacional de Negócios ao Vale do Silício, levar empreendedores e empresários para vivenciar experiências em negócios naquela região tão particular dos Estados Unidos. Ainda em 2013 fizemos nossa primeira, este ano completamos cinco atividades naquela região.

Para 2016, além de Orlando, Vale do Silício, estaremos com a primeira atividade para a Canton Fair, na China, o que me fez recordar o discurso de Jobs, muitas vezes não adianta você querer projetar algo a frente, criar oportunidades somente olhando para o futuro, observe também o que você já vivenciou, quais pontos você já criou. É possível que você encontre respostas.


and1André Bianchi -Presidente ABRADi-ISP (2013-2015), Presidente Comitê Regionais ABRADi Nacional, CEO e Diretor de Missões Internacionais ao Vale do Silício BWi Participações ( 5 Edições), Sócio e Conselheiro Grupo GV8, Sócio investidor: IEV Digital, Terere House, Fraternal Shop e PPt Slides, Membro Banca de Investidores Anjo  Acelera Startup – FIESP  ( 4ª e 5ª Edição).