A Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) agora é responsável pela gestão do programa federal de incentivo ao empreendedorismo, o Start-Up Brasil. A notícia foi divulgada nesta terça-feira, 02, no blog do programa.

“Estamos felizes com essa nova fase do Start-Up Brasil, com o apoio da Softex, que vem somar esforços ao trabalho que vem sendo realizado pelo programa, trazendo a experiência de seus inúmeros projetos de apoio ao setor de TICs no Brasil e exterior”, diz Felipe Matos, COO do programa. ”A equipe do programa não foi alterada. O que muda agora é que ela passa a ficar sob gestão da Softex. Ao longo dos próximos meses, deveremos estudar possíveis integrações, frutos de sinergias entre o programa e outros projetos da Softex, como os hubs internacionais em Nova York e Singapura e apoios na promoção comercial”, complementa.

Para Ney Leal, vice-presidente executivo da Softex, ao assumir a gestão da execução do Start-Up Brasil, a Softex agrega além de sua expertise a oferta de programas complementares em diversas áreas, entre as quais inovação e qualidade.

Sobre a Softex

A Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Softex é gestora, desde a sua criação em 1996, do Programa para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – Programa Softex, considerado prioritário pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). É uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) que tem como objetivo executar atividades de apoio, desenvolvimento, promoção e fomento para a Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI.

Sobre o Start-Up Brasil

Lançado em novembro de 2012 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o programa tem por objetivo apoiar as empresas nascentes de base tecnológica. O Start-Up Brasil integra o TI Maior – Programa Estratégico de Software e Serviços de TI, que elegeu as TICs entre os programas prioritários para impulsionar a economia brasileira e tem como base cinco pilares: desenvolvimento econômico e social, posicionamento internacional, inovação e empreendedorismo, produção científica, tecnológica e de inovação, e competitividade.

Você pode ler mais sobre o programa aqui.