O Google abriu seus dados sobre diversidade e impressionou todos do meio em se mostrar uma empresa muito pouco diversa. Basicamente, a empresa é composta de homens brancos e asiáticos. As mulheres representam 30% dos empregados e os negros apenas 2%.

Quando se analisa os dados nas áreas mais técnicas, os números caem ainda mais. As mulheres representam 17% da força de trabalho nas áreas técnicas, enquanto os negros estão representados em apenas 1% dos postos. Os asiáticos nessa categoria representam 34% da força de trabalho e os brancos 60%.

Segundo o New York Times, um levantamento feito por um engenheiro do Pinterest mostra que em startups em geral as mulheres representam apenas 15% das profissionais de engenharia.

O Google informou, em sua defesa, que as mulheres representam apenas 18% das estudantes de ciências nos Estados Unidos e que brancos e hispânicos representam menos que 10% na área. Os números assustam, mas a empresa poderia encontrar formas de complementar essa diversificação com importação de mão de obra e qualificação especializada. A ver.

A empresa diz também investir em incentivos financeiros para aumentar o número de mulheres que estudam ciência da computação. Veja a pesquisa completa aqui.