Está agendada para as 11h30 desta quinta-feira (iniciou às 12h) uma palestra com Jack Dorsey, cofundador do comunicador Twitter e do meio de pagamento Square, no Salão Nobre da FGV em São Paulo, com a presença de alunos e convidados.

Dorsey é conhecido por fazer parte do time que ajudou a criar o microblog Twitter ao lado de Biz Stone, Evan Williams e Noah Glass em 2006. Ele foi CEO da rede social até 2008, quando Williams se tornou o executivo principal da empresa. Posteriormente, Dorsey ajudou a fundar o Square, um sistema que ajuda empresas a aceitarem pagamentos com o uso de smartphones. Recentemente, o Square fechou um grande contrato com a rede de cafés Starbucks.

Estou aqui mas ainda não começou – ninguém falou nada ainda, nem sinal dele (atualização: iniciou às 12h). Mas dizem que vai rolar uma transmissão ao vivo neste link (está transmitindo, podem acessar). Guilherme Ribenboim, diretor do Twitter no Brasil, está no palco com Dorsey, fazendo perguntas.

Ribenboim (à esquerda) e Dorsey (com o microfone)

LIVEBLOGGING (encerrado).

Frases de Jack Dorsey, direto da palestra. As mais atuais estão em cima (lógica de “timeline”).

“Inovação gira em torno da pergunta mais fácil de fazer e mais difícil de responder: ‘por que?'”

“A inovação gira em torno de se questionar a si mesmo, e aos seus negócios. A pergunta mais importante a se fazer o tempo todo é “por que?”. É a pergunta mais fácil de se fazer, podem ver as crianças perguntando o tempo todo, mas é a pergunta mais difícil de responder, basta observar os pais. Tanto no Twitter quanto no Square, temos semanas em que todo mundo pode trabalhar na ideia que quiser, mas sempre temos esta postura aberta para que nossos colaboradores tragam aquilo que sentem falta no mundo”.

“Só falamos sobre IPO quando repórteres nos perguntam”

“Nunca discutimos isso da mesma forma que os outros discutem. Para nós, isso representa um evento de capitalização, não necessariamente um movimento de crescimento ou de sucesso – são coisas diferente”.

“Não me importo com copy-cats”

“Só queremos entregar o absolutamente melhor. Não me importo se alguém vai fazer alguma coisa primeiro, só me preocupo, nos meus negócios, se este mês vamos fazer as coisas melhor do que fazíamos mês passado.

Se Bitcoin ficar realmente importante, passaremos a aceitar no Square”

“Nossa ferramenta de pagamento Square representa uma evolução para como os comerciantes se relacionam com os clientes. Estamos vendo  tudo que acontece com meios de pagamento móveis ao redor do mundo. Muitas pessoas me perguntaram sobre a moeda virtual Bitcoin; sei que ela está forte online e, se for realmente importante na vida das pessoas, então o Square poderá passar a aceitá-la também”.

“Ruptura (disruption) só move as coisas de lugar, precisamos de revolução porque é isso que tem uma missão, objetivos”

“No Vale do Silício, falamos muito em ruptura, inclusive com o Twitter e o Square. Isso é bom mas tem um limite de o quanto é interessante ou funciona, o quanto faz a diferença”.

“Sim, um dia quero ser prefeito de NYC”

“Isso é algo aspiracional, mas eu sempre gostei de cidades, de pensar cidades, fiz aplicativos que mostravam onde as ambulâncias e bombeiros estavam passando. Antes de estudar Computação, eu estava pensando em estudar Ciências Políticas. Acho que a política tem uma certa força para conseguir realizar as coisas, como fazer legislações que sejam mais eficientes”.

“Não tenho medo do Facebook”

Dorsey, respondendo a uma pergunta: “Não tenho medo mesmo, porque Facebook e Twitter não são a mesma coisa. Você até pode construir uma rede social em torno do Twitter, mas ele é basicamente um serviço que você checa, da mesma forma que acordar e ver como está o tempo. O Facebook tem uma proposta diferente e uma experiência diferente para o usuário”.

“Empreender não é abrir uma empresa, mas assumir risco e ter paciência”

Dorsey falou: “Eu nunca quis ser um empreendedor. Eu só queria fazer as coisas. Hoje se ouve muito sobre empreendedorismo, mas a tônica vem sendo colocada em abrir empresas, só que realmente não se trata disso. Tem a ver com encarar risco, inclusive financeiro, de criar algo novo. E você precisa ter paciência, porque criar algo novo e fazer isso dar certo leva tempo, um bom tempo. Você precisa aprender a lidar com isso., estar alinhado com os objetivos e motivaçõs adequados”.

Confira também a palestra que ele deu no Techcrunch Disrupt explicando que não precisamos de disrupção, mas revolução.