Recentemente, firmamos uma parceria e passamos a divulgar em alguns posts um widget do StartupBase, uma rede surgida este ano e que visa à interação entre fundadores de startups brasileiras.

Firmamos a parceria porque o StartupBase foca no sistema de cadastramento, interação e reputação (ranking), e nos fornece o widget, mas não gera notícias e reviews – coisa que o Startupi faz, então estabelece a complementariedade. Semanalmente, vou publicar posts (com o widget) sobre startups em destaque no StartupBase.

Uma das características mais legais do sistema é que, além de “like” e “tweet”, os usuários podem clicar em “acreditar” nas startups, o que vai formando um ranking mensal e outro geral.

Peço emprestada para o título a descrição que o mentor Yuri Gitahy (da Aceleradora) fez sobre o projeto: “o Crunchbase com jeitinho brasileiro”, em alusão ao sistema Crunchbase, do TechCrunch. Lembro ainda da máxima de gestão “medir para gerir” e a famosa frase do Gil Giardelli, “não se pode explorar novos territórios com velhos mapas” – tudo a justificar a importância do StartupBase (e até a do Startupi).

Histórico dos empreendedores

“Eu (Maurilio Alberone) e o Rafael Carvalho sempre nos enxergamos como empreendedores, mas em 2008 começamos a empreender formalmente fundando a Peta5 com outros 3 sócios, para atuarmos no nascente mercado de TV digital.

Enfrentamos muitos desafios neste caminho. A grande maioria deles devido à nossa inexperiência e daqueles que nos cercavam a respeito de trabalhar em algo que não tinha o perfil padrão de uma PME. Foi onde começamos a conhecer mais sobre startups, investidores e conceitos como customer development e lean startups.

Quanto mais nos aproximávamos de outros empreendedores com o mesmo perfil víamos que existia uma grande carência de informações sobre o mercado brasileiro de startups. Nós não nos conhecíamos, tendo assim uma grande dificuldade de aprendermos uns com os outros.

Os questionamentos sobre a criação de uma base pública de startups brasileiras vinha de todos os lados, mas não vimos ninguém interessado em executar algo neste sentido. A iniciativa mais próxima era o Mapa de Startups do Startupi, porém com uma usabilidade que o prejudicava em atender este propósito”.

O StartupBase

“Em outubro de 2010 resolvemos criar esta base, sem termos muito claro ainda os rumos que iríamos tomar. Começamos entrevistando dezenas de empreendedores e colhendo ideias sobre o que poderia ser nossa primeira versão. Além disso, sempre contamos com os aconselhamentos do Yuri Gitahy da Aceleradora, que conhece este mercado como ninguém.

Logo em seguida convidamos dois desenvolvedores web, Thiago Garcia e Everton Moreth, para construírem o StartupBase conosco. Trabalhamos no desenvolvimento por pouco mais de 2 meses e lançamos a primeira versão na Campus Party 2011. Inicialmente a ideia era bastante despretensiosa. Começamos na linha do ‘fazemos porque queremos e vamos ver no que dá'”.

Onde queremos chegar

“Mas, nosso objetivo sempre foi de fornecer informações precisas e atualizadas do maior número de startups brasileiras, fomentando a troca de conhecimento entre elas e ajudando-as na divulgação e prospecção de oportunidades e negócios com diversos segmentos deste ecossistema. Ainda temos um longo caminho para alcançarmos este objetivo, mas estamos seguindo a passos firmes e bem planejados.

Como todas as informações são públicas, qualquer um pode beneficiar-se do conteúdo do StartupBase. A transparência com estas informações e a consistência dos dados são nossas preocupações. Hoje fui informado que uma das startups foi contatada por um fundo de investimento que a conheceu no StartupBase. É este tipo de relevância que queremos atingir, ajudando a elevar nosso mercado a um novo nível.

Nosso diferencial é trabalharmos exclusivamente para este nicho, apesar de até termos cadastros de empresas tradicionais de serviços em nossa base. Mas já estamos criando formas de diferenciação que entrarão no ar nas próximas semanas.

Além disso, existem diversas oportunidades fantásticas de produtos e serviços relacionados ao empreendedorismo de alto impacto no Brasil. E também estamos trabalhando na criação de soluções para algumas delas. Em breve teremos outras novidades especialmente desenhadas para as startups brasileiras, onde a base que mantemos também será nosso mercado consumidor.

Então, convidamos todos os “startupers” brasileiros a cadastrarem suas startups no StartupBase. Estamos trabalhando intensamente na geração de oportunidades para todos estes negócios”.