Há duas semana, eu escrevi um artigo aqui no Startupi intitulado “Uma Semana no Vale do Silício“. Fiz um resumo de tudo que eu havia visto e ouvido de mais importante na semana que passei na região de San Francisco, na California.

Entre os diversos assuntos tratados, meu texto faz uma observação sobre a ação do Consulado Brasileiro nesta importante cidade norte-americana, em relação ao tema empreendedorismo.

A minha opinião foi fundamentada em conversas com empresários brasileiros que vivem na região, no que eu observei durante um evento que foi realizado no Consulado durante aquela semana e no que eu encontrei disponível nos sites do Consulado e do seu departamento de promoção comercial SECOM SF, onde, na verdade, há muitas informações gerais sobre vistos, votação para brasileiros e números sobre o Brasil.

Enquanto isso, nosso País perde grandes oportunidades em relação a outras nações. Em um encontro promovido no Plug & Play Tech Center, ao trocar experiências e debater com representantes da Irlanda e República Checa, observei que as representações diplomáticas deste países estão bem estruturadas. Estes países contam com escritórios de promoção de empreendedorismo e venture capital dentro do Plug & Play Tech Center.

Na última quarta-feira, dia 10 de novembro, recebi uma alvissareira ligação do Vice-Cônsul Geral em São Francisco e líder do SECOM, Evaldo Freire. Neste telefonema, nós tivemos a oportunidade de conversar sobre as iniciativas da SECOM em relação ao tema. Ele explicou que este departamento existe há pouco tempo em San Francisco, e, em apenas um ano, sua equipe se dedicou a estudar as áreas de enfoque nas quais o Consulado deve se enveredar e que inovação e empreendedorismo têm papel relevante na agenda desenvolvida. Além disto, o Vice-Cônsul esclarece que o Consulado teve algumas ações concretas, como o caso de empresas brasileiras que tiveram as portas abertas pelo órgão para trabalharem e venderem na região.

O Sr. Evaldo mencionou também o que apoio dado ao Brazil Innovators, que realizou o evento no Consulado, deve se repetir em outras oportunidades dado o peso e visibilidade que teve. Finalmente nós conversamos sobre as ações futuras do SECOM: uma missão comercial para empresas de TI que já acontece no dia 2 de dezembro e várias outras ações que estão programadas para 2011, como uma feira, em Maio, na qual o Consulado terá um grande stand para empresas nacionais se promoverem.

Enfim, a conversa foi muito esclarecedora. Mostra que nossos representantes estão preocupados com a inserção internacional do país, apesar de ficar claro que muito ainda tem que ser feito. Mostra principalmente que eles estão conscientes da importância de expor nossas startups ao ambiente de empreendedorismo e venture capital estrangeiro, assim como atrair investimentos para o país.